Live, uma poderosa ferramenta para ouvir o consumidor.

Há anos fui jantar em um restaurante francês. Ao terminar a refeição, meu amigo solicitou falar com a Chef. Após parabenizá-la pelos pratos, meu amigo, entendedor de culinárias refinadas, fez uma observação a respeito de uma de nossas escolhas. U-la-lá! Bastou tecer o mínimo reparo quanto à receita para sentirmos o clima mudar radicalmente. A Chef, tensa, cara de poucos amigos, esforçou-se para não nos mandar catar coquinho em outra freguesia. Saí de lá convicto que não voltaria mais. Meses depois o restaurante fechou, o motivo não sei, mas que a intransigência nos negócios custa caro, isso custa.

Empreendedores sabem como ninguém da impossibilidade de adotar todas as sugestões apresentadas. Há clientes que têm razão, outros, não. Porém, o refinamento de uma iniciativa só acontece quando olhos e ouvidos estão atentos para detectar os deslizes e potencializar as forças que levam uma marca a ser bem-sucedida. Esse exercício, contínuo e dedicado, é um dos ingredientes mais notáveis de empresas vitoriosas.

A pandemia certamente mudará, se é que já não mudou, a forma de operarmos e servirmos o nosso público. Mais: realinharmos os nossos negócios, adaptando-os, ou até recriando-os, para competirem em um mundo em transformação, portanto, relacionarmo-nos de forma transparente com nossos clientes é fundamental para nos ajudar a traçar rumos, adotar experiências, ousar e retomar plenamente as nossas atividades balizados por parâmetros, em muitos casos, absolutamente diferenciados.

Esteja aberto a ouvir

Nos últimos tempos, as lives viraram febre, uma ferramenta barata e eficaz de manter as marcas latentes na cabeça das pessoas. Pergunta, por que não usá-las como meio de pesquisa e inovação? Ao invés de recorrer a esse precioso instrumento para falar, por que não adotá-lo para escutar? Compreender o consumidor, que tem muito a contribuir para edificarmos maneiras inusitadas de levarmos bens e serviços ao mercado. Para mudarmos nossa postura perante as necessidades que surgem. Acima de tudo, aprimorarmos nossas ofertas, atendimento, mix, entre outros tantos fatores.

Criar um grupo de habitués dos nossos negócios e, tête-à-tête, pedir sugestões, críticas, deixar com que expressem suas vontades, pode ser um caminho interessante para filtrar as melhores ideias, aquelas que necessitamos para enfrentar esse tempo que nos desafia com uma grande interrogação.

Crie uma live, abra espaço para quem conhece as suas atividades e deseja contribuir com o seu progresso. Sem dúvida, um bate-papo franco tem muito a fazer em prol do seu desenvolvimento empresarial.


Fernando Brengel é sócio e Diretor de Criação da Presença Propaganda, um dos idealizadores do Projeto Apareça e Cresça, header do Empório Barilotto Bebidas & Sabores, palestrante e escritor.

Mantenha a sua marca viva!

Nos anos 1940, quando a indústria norte-americana estava toda dedicada aos esforços de guerra, produzindo artefatos que seriam utilizados nos campos de batalha, uma das mais maiores companhias do globo lançou a campanha “Há um Ford em seu futuro”. Ou seja, oito décadas atrás, a publicidade já entendia a necessidade de manter as marcas presentes na cabeça e no coração dos consumidores numa situação difícil – afinal, a guerra teria fim e, apesar das dificuldades, os interessados voltariam a consumir.

Hoje o inimigo mudou. Ele não é visível, mas assusta. Ele não veste farda, não carrega armas, porém mata do mesmo jeito. As preocupações do momento lembram aquelas do passado. “Quero vencer a pandemia de coronavírus e sair vivo” certamente é a tônica dos nossos pensamentos. Sonhos de consumo são adiados e o que interessa é a manutenção da saúde e o atendimento das necessidades mais imediatas.

Nesse cenário, as pequenas empresas são as que mais sofrem. E é justamente esses empresários e empreendedores quem desejo provocar de maneira positiva.

Há quanto tempo você vem investindo no seu negócio? Na sua marca? Sejam quais forem as respostas, resgate a sua motivação, e não deixe a peteca cair.

Não perca mais tempo, comece a agir imediatamente.

Mantenha-se próximo do seu público – lembre-o sempre que sua marca está hoje e estará no futuro com ele. Seja criativo, leve informação e serviços para seu cliente. Já percebeu a quantidade de lives que inundaram as redes sociais? Músicos, chefs de cozinha, professores, consultores, donos de negócios (até dos mais segmentados), estão colocando o otimismo e seu conhecimento em campo para preservar o que uma estrutura empresarial tem de mais valioso: a marca.

No fundo, o pessoal que está investindo em lives e outras tantas formas de comunicação está seguindo os passos que a Ford (lembra?) trilhou em um momento extremamente delicado da História universal, a 2ª Guerra Mundial. Com uma diferença: hoje temos um aliado que a montadora nem sonhava possuir – o mundo digital, que nos garante conexão planetária, acessível e barata (e até gratuita). Muito mais fácil fazer nossa mensagem chegar a quem desejamos, hein?

Lembre-se, as pessoas estão mais em casa, o que aumenta os acessos à rede mundial de computadores. O público tem mais tempo para descobrir e se relacionar com as marcas. O que você está fazendo nesse sentido?

Ah Fernando! Mas hoje ninguém vai comprar, está todo mundo sem dinheiro, e economizando o que tem”. Leu direito o que escrevi a respeito do tempo? Pois ressuscite ou amplie a capilaridade da sua marca agora. A-go-ra!

Os meios digitais não ganharam importância à toa, são ferramentas essenciais no compartilhamento de conhecimentos, informações, diversão, cultura e na divulgação das marcas. Há 35 anos, quando comecei na publicidade, não poderia imaginar que o espaço da timeline de alguém seria ocupado igualmente tanto pela padaria do bairro quanto pela gigante dos refrigerantes. Quando – mesmo em meio à divagação mais absurda -, poderia adivinhar que a lojinha da esquina teria seguidores, portanto potenciais clientes, em número suficiente para incomodar o grande magazine? Em que momento o Seu Zé dos serviços gerais disputaria o mundo virtual com a poderosa empreiteira?

Havia pensado no digital por esse ângulo? Dá uma animadinha, né?

Pois foque no futuro e prepare-se para voltar a sorrir.

Foque no futuro e prepare-se para voltar a sorrir. Mantenha sua marca viva!

É urgente tratar da sobrevivência da sua marca. Se você perdeu o chão, aprume-se. Seu concorrente já está se movimentando enquanto você ainda lamenta a situação.

Ah! Se você não sabe como fazer, qual a forma de lidar com tantas variáveis, analisar dados, traçar estratégias e assim por diante, vai aí uma solução simples e rápida: tem uma porção de bons profissionais dispostos a encarar esse baita desafio com você. Gente necessitando trabalhar para também manter as suas marcas ativas. Que tal conversar com eles? Que tal buscar ajuda especializada?

O mundo mais uma vez está mudando, portanto procure quem pode te orientar quanto aos possíveis cenários que se avizinham. Mais: não tema jogar na mesa uma proposta ousada. Talvez seja exatamente o que a outra parte queira ouvir. Só não fique pensando na realidade que você vivia. Ela acabou. Cabe a você começar outra – diferente, mas que também pode ser muito boa e lucrativa.


Fernando Brengel é sócio e Diretor de Criação da Presença Propaganda, um dos idealizadores do Projeto Apareça e Cresça, header do Empório Barilotto Bebidas & Sabores, palestrante e escritor. Durante mais de vinte anos foi professor universitário e, como bom brasileiro, “não desiste nunca!”